18º. dia segunda (14/02/2011)

Hoje, acordamos com uma dúvida enorme. Ir ou não para o Paraguai ?

Lutamos com todas as nossas forças “mais somos tão fracos He He He ”.  Resolvemos visitar o Paraguai; Pegamos um taxi, afinal não somos loucos de entrar nesse País de moto; Atravessamos a Ponte da Amizade e a desordem, bagunça continua a mesma, é uma loucura só. Acabamos não comprando nada, pois lembramos que estávamos de moto e não tinha como levar nada do que queríamos rs rs rs rs.

Partimos de FOZ por volta das 16:00 e para nossa surpresa no 1º. pedágio o valor foi R$ 5,20 “muito caro!” por ser pista simples, com acostamento estreito e ruim.  Outro fato que chamou nossa atenção foi a presença de buracos na pista, pois já tínhamos rodado mais de 8.000 KM, entre Uruguai, Argentina e Chile e só havíamos contados quatro buracos nas pistas e pouquíssimas emendas e em menos de 150 KM no Brasil já encontramos mais de dez.

O Valor dos pedágios por aqui é em média 150% mais caro do que nos outros países visitados (Argentina moto não paga). Amamos nosso PAÍS, somos orgulhosos de ser Brasileiro, mais somos honestos em dizer que falta muita coisa por fazer e ficamos indignados por pagarmos tantos impostos e tantos pedágios para não termos o que merecemos, e em se tratando de pistas está uma negação. Para se ter uma idéia na grande maioria dos quebra-molas na Argentina tem placas de sinalização com antecedência, e um poste com luzes de advertência (amarela e vermelha) no local do mesmo.

Com o tempo variando entre Sol e Chuva, rodamos 430 KM e paramos para descansar em Londrina-PR por volta das 22:30. T+

Esta entrada foi publicada em Últimas Notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>